Web Rádio PCN - Campanha Janeiro Branco requer envolvimento dos gestores locais

Campanha Janeiro Branco requer envolvimento dos gestores locais

Por Raquel Montalvão - Foto: Arte campanha

Da Agência CNM de Notícias, com informações dos sites Janeiro Branco, Atibaia Connection e EBC


O primeiro mês do ano é o típico de férias, sol e calor; contudo, o período também oferece uma oportunidade ímpar de se pensar na saúde mental. A campanha mundial Janeiro Branco 2019 deste ano tem o seguinte tema: ‘Vem pra Saúde Mental’. O objetivo é disponibilizar mensagens e orientações sobre saúde mental e qualidade emocional nos espaços públicos e privados, para que a população brasileira tenha acesso a esse tipo de informação de forma mais fácil. Nesse contexto, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) recomenda que os gestores trabalhem o tema com as suas comunidades.

A campanha nasceu da preocupação de se ter um mês específico para abordar o assunto com mais intensidade, envolvendo os profissionais da psicologia e demais profissionais da saúde e sociedade em geral, além dos Conselhos Regionais de Psicologia de todo o país. Ela também visa a promoção e a conscientização do conceito, a disseminação da importância da promoção em saúde mental e do combate ao adoecimento psicológico e emocional. Isso, a partir do entendimento de quem cuida da mente, cuida da vida.

Diante desse entendimento, a campanha aproveita o período de virada do ano e de reflexão para abordar o tema que ainda é tratado com constrangimento por parte da população. O psicólogo Josiel da Silva Rodrigues explica: “é como uma folha em branco, onde você pode desenhar e planejar o que quiser para um novo ano. Assim nasceu o Janeiro Branco, onde as mudanças para começar a desenhar, planejar mudanças interiores, comportamentais, emocionais, existenciais devem ser refletidas e colocadas em prática”, afirma.  

O Brasil ocupa o oitavo lugar em incidência de suicídios e tem um dos maiores índices de ansiedade e depressão do mundo. Segundo o psicólogo e coordenador da Campanha, Vitor Barros, falar de saúde mental é uma questão de saúde pública, e é tão normal quanto ir a outro médico. Nesse aspecto, a iniciativa tem o desafio de derrubar o preconceito ao redor do tema e trazer qualidade de vida ao cidadão.

Materiais

Em sua 6ª edição, a iniciativa propõe ocupar redes sociais, ruas, praças, parques, avenidas, esquinas, bares, restaurantes, aeroportos, rodoviárias, mídias, igrejas, escolas, prefeituras, câmaras de vereadores, assembleias legislativas, hotéis, boates, hospitais, postos de saúde, CAP’s, residências. Também almeja que as ações sejam promovidas em nas empresas, instituições públicas, privadas e Municípios. Para isso, uma página on-line disponibiliza materiais de subsídio para desenvolver as atividades nas mais diversas regiões.